1.24.2009

19 Estratégias para a Criação de um Fundo de Emergência, e por que é crítico fazê-lo


Siga-me no Twitter e Facebook.

A criação de um fundo de emergência, se ainda não o fez, é uma das coisas mais importantes que pode fazer para ajudar suas finanças.

Mas certamente já sabia disso.

É um conselho financeiro comum, mas o que não é tão comum é saber como realmente o concretizar. É evidente que quem não tem um fundo de emergência tem difículdade em poupar dinheiro, mesmo sabendo que deveria.

Por isso, hoje nós vamos ver algumas estratégias para a criação de um fundo de emergência, para aqueles que sabem que não é fácil.

Porque é tão importante

Eu não gosto de usar a palavra "crítico" muitas vezes, porque é um exagero. Mas neste caso, quando estamos a falar sobre a saúde das suas finanças, um fundo de emergência é absolutamente crítico.

Se estiver com problemas financeiros, os mais importantes passos que você pode tomar imediatamente são:
1) Reduzir os seus gastos sendo mais economico
2) Parar de se endividar;
3) Criar um fundo de emergência que ronde os €650 | R$1500 (que mais tarde pode aumentar para o equivalente a 3-6 meses o seu vencimento).

Aqui estão algumas razões porque um fundo de emergência é fundamental para a sua saúde financeira:

1. Parar de se endividar. Quando surge um imprevisto, se não tiver um fundo de emergência, a primeira despesa que vai sair do seu ordenado vai ser para pagar essa dívida. Vai acabar por utilizar o cartão de crédito para pagar essa emergência e, consequentemente, vai ficar mais endividado. Um fundo de emergência acaba com a necessidade de utilização de cartões de crédito para pagar as despesas imprevistas.


2. Equilibrar o seu orçamento. Se as despesas inesperadas continuarem a aparecer, pode recorrer à sua poupança, assim não tem que continuamente re-avaliar o seu orçamento para pagar essas despesas inesperadas. Com um fundo de emergência, torna-se muito mais fácil gerir o orçamento familiar.

3. Evitar juros de mora. Se vive de salário a salário, (como a maior parte das pessoas), vai haver alturas em que tem que pagar uma conta atrasada, ou que terá o saldo da sua conta bancária a negativo. Estas situações têm sempre multas e juros devido ao atraso. Com um fundo de emergência, você evitar essas despesas desnecessárias.

4. Adiante-se. Se conseguir pagar as suas despesas com um mês de antecedência, o seu stress financeiro irá diminuir drásticamente. Em vez de estar sempre preocupado com as contas, pode fazer os pagamentos com antecedência, para poder respirar fundo e relaxar.

Agora o mais importante, Como o fazer:

19 Estratégias para a Criação de um Fundo de Emergência

Se tiver problemas para conseguir poupar, não é suficiente dizer como é importante ter um fundo de emergência. O que precisa são algumas estratégias para fazê-lo.
Pondere quais as estratégias que funcionam melhor para si e, talvez possa conjugar algumas delas para um melhor resultado. Não precisa de as usar todas, até porque não vai conseguir.

1. Comece com pouco. Se não tem muito que possa poupar, não importa - o importante é apenas a começar. Mesmo que seja apenas €25 | R$50 por salário, já é bom pra começar. Se conseguir fazer isso todos os meses a sua poupança vai crescer gradualmente a cada salário, e ficará feliz e motivado ao ver o seu fundo e emergência crescer, a assim vai querer poupar mais.

2. Transferência automática. Parece banal, mas funciona. Basta programar mensalmente, uma valor a tranferir para a sua conta poupança. Ao tornar a poupança automatica não vai ter que se preocupar com isso, o que torna tudo muito mais fácil, vai conseguir poupar sem sequer se dar conta disso.

3. Trate-o como uma despesa. No inicio do mês certamente tem uma lista de contas a pagar antes de poder gastar algum do seu dinheiro em despesas variáveis tais como gasolina, supermercado ou jantar fora. Junte o seu fundo de emergência à lista de despesas, e faça o pagamento ao mesmo tempo. Isso o torna-o numa conta, o que faz com que tenha mesmo de a pagar. E então o que sobrar depois de tudo pago é seu para gastar com tudo o que lhe apetecer.

4. Corte uma despesa, e guarde o dinheiro. Se pensar bem em como gasta o seu dinheiro, encontrará algumas coisas que podem ser cortadas. Revistas, compras, café, TV por cabo, tabaco. O que quer que seja que decida cortar, pegue nesse mesmo valor e acrescente ao pagamento mensal do seu fundo. Não gaste esse dinheiro.

5. Registe e Arredonde. Registe o valor de cada compra que faz ou cada cheque que passa num caderno ou num ficheiro informático, mas arredonde sempre para cima. Ou seja, se gastou €20.05 | R$48.70 registe €21 | R$49. Ao controlar o seu orçamento mensal deste modo, parecerá, à primeira vista, que está a gastar mais, mas na realidade estará a poupar… e no fim do mês isso vê-se!

6. Uma conta, dois propósitos. Pode utilizar a sua conta poupança para liquidar dívidas também. Como? Estabeleça um valor mínimo para o seu fundo de emergência e, uma vez conseguido, utilize todo o dinheiro que conseguir juntar a seguir para pagar uma dívida específica. Por exemplo: se o valor mínimo do seu pé-de-meia é €500 | R$1200, quando atingir esse patamar, pode decidir começar a poupar para pagar uma dívida de €200 | R$487. Quando chegar aos €700 | R$1687, pode liquidar a sua dívida por completo e manter o seu fundo de emergência intacto. Repita este processo sempre que precisar de saldar uma dívida.

7. Gorjetas. Cada vez que for a um restaurante e deixar uma gorjeta, dê a mesma a si próprio… e já sabe exactamente para onde deve ir, não sabe?

8. Continue a pagar a dívida, mas a si mesmo. Se terminar o pagamento de um carro, ou de uma dívida de cartão de crédito ou outra coisa qualquer de menor valor, pegue no valor que estava a pagar e coloque directamente na poupança de cada mês. Não vai sentir nenhuma uma diferença no seu orçamento.

9. Compras do mês, guarde a diferença. Já sabe que todos os meses gasta entre €150 | R$364 e €180 | R$437 em supermercado, por exemplo. No seu orçamento mensal passe a destinar €200 | R$487 para essas despesas, o que sobrar vai direitinho para o fundo de emergência.

10. Deixe de fumar ou beber. Bem, não são os hábitos mais fáceis de largar, mas se conseguir deixar, ou reduzir, deve pegar no valor que não gastou (e é uma quantidade considerável, eu sei) e colocá-lo na poupança. se gastar €3,30 | R$8 num maço de tabaco todos os dias, no fim do mês pode poupar cerca de €100 | R$242.

11. Restrinja o acesso ao fundo. Se se sentir tentado a mexer no fundo de emergência, deve colocá-lo numa conta de difícil acesso. Coloque as suas poupanças numa conta a prazo, que só pode ser movimentada uma ou duas vezes por ano, com o risco de perder os juros. Se o acesso for difícil exige menos auto-disciplina e o dinheiro continuará disponível caso surja uma urgência verdadeira.

12. Subsidios ou reembolsos. Se receber o subsídio de Natal, ou o reembolso do IRS, ou algum outro dinheiro inesperado, ponha directamente no banco e não o gaste. Use-o para o seu fundo de emergência. Ou então use para amortizar alguma dívida.

13. Guarde as moedas. Esta é fácil, o velho porquinho mealheiro que todos conhecemos. Não gaste os trocos que recebe. Quando chegar a casa no fim do dia, esvazie os bolsos e guarde-os numa caixa ou num frasco, e uma vez por mês, vá ao banco e coloque esse dinheiro na poupança. Vai-se surpreender com o que pode juntar, muito rápidamente.

14. Renegociar. Faça questão de renegociar o empréstimo da sua casa ou carro sempre que possível. O mesmo aplica-se aos diferentes seguros que cada um de nós tem – casa, carro, saúde – pesquise o mercado e procure a solução mais económica para si. Transfira o(s) valor(es) que conseguir poupar para o seu fundo de emergência.

15. Venda o seu carro. Se tiver dois carros na família, veja se conseguem viver sem um deles. Pegue no valor que estavam a pagar sobre o segundo carro e guarde-o. Ou, alternativamente, venda o seu carro e compre um modelo mais barato. Guarde a diferença no seu fundo de emergência.

16. Corte na sobremesa. Está é uma boa dica especialmente se está a tentar perder peso, não peça sobremesa ou coma junk food. Em vez disso, coloque o valor que teria gasto num envelope e guarde-o.

17. Fique em casa. Em vez de ir ao cinema ou jantar fora, cozinhe as suas próprias refeições e assista a um DVD - ou faça algo divertido que seja de graça. Guarde a diferença.

18. Freelance. Utilize os seus talentos e capacidades profissionais, fazendo-os render um salário extra… e veja o seu fundo de emergência continuar a crescer!

19. Poupe no seguro automóvel. Se mudar para uma seguradora low-cost poderá ser capaz de poupar centenas de euros. Pegue na quantia que teria de pagar e guarde-a.

Tem alguma dica para poupar que queira partilhar? Deixe-a nos comentários

Leia Também:


100 maneiras baratas de se divertir com os seus filhos

Como eu poupo dinheiro

Poupança - Novos hábitos a aprender

Como Deixar de Viver de Salário em Salário








Sem comentários:

Enviar um comentário