10.11.2009

Assertividade - Parte 1

Siga-me no Twitter e Facebook.


Hoje pela primeira vez tenho um post convidado no meu blog, escrito por Caroline Schneider no seu blog operação metamorfose, um blog muito interessante que mostra a sua vitória sobre a obesidade. A Assertividade insere-se na melhoria da auto-estima, algo muito importante para quem quer perder peso e ser suadável.

Este post foi escrito em 2 fases, aqui fica a parte 1, amanhã publico a 2ª parte
.

Vocês sabem o que é Assertividade? Já falei falei sobre ela num post, mas é um tema tão importante para nosso desenvolvimento, tanto pessoal quanto profissional, que gostaria de me aprofundar um pouquinho.

Muitas vezes deparamo-nos com algumas situações que nos provocam dúvidas sobre se havemos dedizer ou não o que pensamos ou sentimos a alguém que nos provocou algum tipo de reação emocional.

Imagine aquele “amigo” que falou mal de você para outra pessoa, que “sem querer” lhe contou. Ele chega e o cumprimenta como se nada tivesse acontecido. O que faz? Você fala ou não com ele sobre o que ele andou a dizer sobre si? Expressa os seus sentimentos e o seu pensamentos? De que forma?

E quanto àquela pessoa que está sempre consigo, nos momentos mais difíceis da sua vida? Consegue mostrar o quanto ela é importante para si, e como é bom tê-la como amiga/parceira/etc.?



Mas o que isso tem haver com assertividade?
Dizer o que é bom (agradecer ao amigo pela sua presença e sua atenção) e dizer o que pode não ser muito agradável (dizer a uma pessoa que soube do seu comentário e que não gostaria que não o voltasse a fazer, porque não gostou) é comportar-se assertivamente.

Todos temos opiniões e sentimentos, portanto, o direito de expressá-los é universal. Não que é que esteja sempre certo e que todos devam concordar com seus pontos de vista ou reações, mas o facto é que a pessoa assertiva defende as suas opiniões, respeitando a dos outros. Ela não precisa humilhar ninguém para conseguir o que quer. Faz as escolhas para a sua vida sem impô-las aos outros. Quando quer opinar ou pedir algo, o fá-lo de maneira honesta e directamente, sem rodeios, aumentando as hipoteses de alcançar seus objetivos.

Quando a pessoa não se comporta de forma assertiva, ela tende a desenvolver comportamentos passivos ou agressivos perante determinadas situações e pessoas.

As pessoas agressivas são aquelas que precisam se valorizar depreciando os outros, não respeitando as suas opiniões. Expressam-se de uma forma rude, podendo até gritar. Elas conseguem atingir seus objetivos; no entanto, mais tarde, quando estão sós em suas casas, sentem-se mal e culpadas. E o pior é que os que convivem com pessoas com este perfil também se sentem mal, ofendidos, passam a ter raiva ou acabam por se afastar delas. Assim, a longo prazo, acabam ficando solitários ou sem amigos verdadeiros.

Os passivos são aqueles que fogem de qualquer confronto por menor que este seja. Nunca tomam uma decisão, deixando para os outros esta tarefa. Não são directos quando conversam, e, normalmente, os amigos e familiares não sabem o que eles querem ou precisam. Assim, acabam não atingindo seus objectivos. Sentem-se culpados, com raiva ou inferiorizados. O pior é que as pessoas que convivem com eles também ficam chateadas, pois são obrigadas a adivinhar o que se passa na cabeça do outro.

Estes perfis podem ser diferenciados através de grandes diferenças no modo de falar, na postura e nas conseqüências das ações:

Na Fala:

O comportamento assertivo inclui verbalizações tais como: “Penso”, “Sinto”, “Quero”, “Como podemos resolver isso?”, “O que achas?”.

No comportamento agressivo as verbalizações são: “Você faria melhor se …”, “Você deve estar brincando”, “Se você não fizer…”, “Você não sabe”, “Você deveria”.

O comportamento passivo caracteriza-se pelas seguintes verbalizações: “Talvez”, “Suponho”, “Me pergunto se poderíamos”, “Você se importaria muito se…”, “Realmente, não é importe”, “Não se aborreça”.

Na Postura:

Os componentes não verbais do comportamento assertivo manifestam-se através de contato ocular directo, nível de voz compatível com o de uma conversação, discurso fluida, gestos firmes, postura erecta, mensagens na primeira pessoa, verbalizações positivas, respostas diretas à situação, mãos soltas.

No comportamento agressivo o olhar é fixo, a voz é alta, a fala é fluida e rápida, os gestos são de ameaça, a postura é intimidatória, as mensagens são impessoais.

O comportamento passivo expressa-se através de olhar para baixo e da evitação do contato ocular, a voz é baixa e vacilante, os gestos são desajeitados, as mãos costumam apresentar-se retorcidas, ocorrendo frequentemente risos falsos.

Nas Consequências:

Quando uma pessoa costuma se comportar assertivamente, facilita a solução de problemas interpessoais, aumenta a sensação de autoeficácia e a autoestima, melhora a qualidade dos relacionamentos e sente-se mais tranquila.

O comportamento agressivo geralmente gera conflitos interpessoais, leva à perda de oportunidades, dano aos outros, sensação de estar sem controle, autoimagem negativa, culpa, frustração, tensão, rejeição dos outros e solidão.

O comportamento passivo promove efeitos tais como: conflitos interpessoais, auto-imagem negativa, dano a si mesmo, perda de oportunidades, incontrabilidade, desamparo e depressão, tensão, solidão.

Ser assertivo envolve perceber qual o momento certo para falar, e como dizer claramente o que se está a sentir, pensando, e tentando resolver os problemas. Quem fala o que quer de forma assertiva aprende a ouvir e a respeitar o que o outro pensa e diz. Aprende a receber o não sem se sentir agredido ou rejeitado; percebe que o não é uma resposta que se refere ao seu comportamento e não à sua pessoa. Aprende também a ouvir e a crescer frente às críticas provenientes dos relacionamentos interpessoais.

Acredito que já deva ter acontecido com vocês, porque comigo já ocorreu várias vezes, algum tempo depois de uma situação situação, vir à mente várias e várias coisas que eu poderia ter falado, argumentado, mas que não fiz. Então vem aquela sensação de impotência, frustração, de não ter tido uma “luz” no momento certo, de expor as idéias e opiniões. Eu tinha um perfil muito variável: com algumas pessoas, meu comportamento era passivo, com outras - principalmente familiares - era agressivo. Quando comecei a treinar a ser mais assertiva - sim, treinar, porque pode-se mudar a forma de agir - passei a conviver melhor com as pessoas, pois aprendi a maneira de expressar minhas idéias, sentimentos, vontades de uma maneira mais clara e objetiva.

No próximo post darei dicas e ideias de como treinar para tornar-se uma pessoa assertiva.

Leia aqui a continuação




del.icio.usstumble Technorati BlogBlogsblogarama.com


2 comentários:

  1. Olá ASA, vim conhecer seu blog e já estou te acompanhando!
    Achei-o bem interessante.
    Tenha um ótimo domingo, beijos.

    ResponderEliminar
  2. Olá!
    Muitissimo interessante!
    A postagem anterior tb!
    Tenho que lutar mais por isso...
    Bjs e boa semana

    ResponderEliminar