2.10.2011

20 Coisas que eu gostaria de ter sabido quando comecei a vida

Siga-me no Twitter e Facebook

."Tudo já foi descoberto, excepto como viver." - Jean-Paul Sartre

Post escrito por Leo Babauta

Neste momento estou nos meus trintas, e já cometi bastantes erros na minha vida. Eu não acredito em arrependimentos ... já aprendi muito com todos os meus erros ... e a minha vida é bastante boa.

No entanto, existem algumas coisas que eu gostaria de ter sabido quando estava a acabar o secundário e a começar aquilo que se chama a vida de adulto.

Será que teria feito as coisas de forma diferente? Eu não tenho tanta certeza disso. Eu podia nunca me ter endividado até ao pescoço, mas assim também não teria conhecido a sensação incrível de pagar todas as dívidas. Eu podia ter feito melhores escolhas de carreira, mas assim não teria toda a experiência de trabalho que me tornou o escritor que sou hoje.

Podia não me ter casado da primeira vez, evitando ter de passar pela terrivel experiência que é o divorcio ... mas assim não teria tido os meus dois primeiros filhos, fruto dessa primeira união.

Eu acho que não mudaria nada disso. No entanto, ao olhar para trás, há algumas lições que eu aprendi, que gostaria de poder dizer ter dito a mim próprio aos 18 anos de idade. Eu quero partilhar isto, não para compartilhar as minhas tristezas, mas na esperança de que os jovens homens e mulheres, que estão agora a começar a sua vida, possam beneficiar com os meus erros e com as minhas lições.

O que se segue não é uma lista exaustiva, mas eu espero seja útil, pelo menos para algumas pessoas.

"Espero que a vida não seja uma grande piada, porque eu não a entendo." - Jack Handey



1. Como controlar os gastos por impulso. Se há uma coisa que me deixou com problemas financeiros, foram os gastos por impulso. Comprar roupas que não precisava. Comprar gadgets porque simplesmente tinha de os ter. Encomendar coisas online por ser tão fácil. Comprar um carro novinho porque ... bem, porque me ia ajudar com as mulheres. Eu não me orgulho de nada disso. Eu aprendi a controlar meus impulsos, pelo menos um pouco melhor. Agora, respiro fundo e espero algum tempo. Eu penso antes de comprar, vejo se tenho dinheiro, pondero se é uma necessidade ou um desejo. Isso teria sido muito útil há uns anos atrás.

2. É preciso continuar activo.
Quando andava na escola, eu fazia bastante desporto e actividades fisicas, mas quando eu comecei a faculdade, começei lentamente a deixar de o fazer. Não foi de um momento para o outro - Ainda pratiquei desporto alguns anos depois da faculdade. Mas eventualmente isso acabou, até que me tornei sedentário. Brincar com meus filhos na rua era o suficiente para me deixar sem fôlego. E comecei a engordar. Entretanto consegui inverter essa tendência, e estou bastante activo agora, mas ainda estou a tentar queimar a gordura que ganhei nesses anos em que estive parado.

3. Planear as finanças. Quando me tornei um adulto, sempre soube que era suposto fazer um orçamento e controlar os meus gastos. Mas sempre tive preguiça de o fazer. E também não sabia bem como. Agora, eu sei como planear e como me manter fiel a esse plano. Claro, que me desvio do meu plano frequentemente, mas também aprendi a lidar com isso. Talvez não seja uma coisa que se possa aprender com um livro. Simplesmente tem que se praticar. Mas, eu espero conseguir ensiná-la aos meus filhos, antes de eles se tornarem independentes.

4. A comida de plástico tem consequências. Não foi apenas o estilo de vida sedentário que me fez engordar. Era também toda a junk food que comia. Eu comia pizza e hambúrgueres, chocolates e sobremesas e bolos e ... bem, já percebeu. Sempre me habituei a comer tudo o que eu queria, e nunca pensei que isso poderia vir a tornar-se um problema. Achava que problemas de saúde eram coisas para me preocupar quando já fosse mais velho. Bem, as minhas calças de ganga começaram a ficar demasiado apertadas, e para meu horror, aumentei vários tamanhos de calças e desenvolvi uma barriga que só agora está a desaparecer. Eu gostaria que alguém me tivesse mostrado uma imagem do "depois" quando eu era jovem e andava a beber refrigerantes como se fosse água.

5. Fumar é mesmo estúpido. Eu só comecei a fumar quando era adulto. Não vou explicar porque comecei, mas nunca me pareceu que pudesse tornar-se um problema, porque eu sabia que poderia deixar o hábito a qualquer momento. Ou pelo menos pensava que podia, até uns anos mais tarde tentar e não conseguir. Após cinco tentativas mal sucedidas, eu percebi que o meu vício era mais forte do que eu. Claro que acabei por conseguir deixar de fumar, mas custou mais do que alguma vez poderia imaginar.

6. Poupar. E planear a reforma, sem nunca levantar o dinheiro. Este pedaço de sabedoria, e provavelmente todos os outros acima, podem parecer óbvios. E eles são. Não pense que eu não sabia tudo isto quando tinha 18 anos. Eu sabia. Ma simplesmente não dei importância. A reforma era algo para me preocupar quando estivesse nos meu 40s. Bem, eu estou nos meus 30s agora, e quando penso no dinheiro que poderia ter poupado e investido até agora, apetece~me bater em mim próprio! Eu consegui fazer algumas poupanças, mas nas ocasiões em que estive sem emprego, levantei esse dinheiro e gastei-o em coisas pouco importantes.

7. Todas as coisas que faz e que parecem difíceis - vão servir para alguma coisa. Isto pode não ser assim tão óbvio. Houve momentos na minha vida em que o meu trabalho era dificil, mas mesmo assim eu fi-lo, mesmo detestando o que estava a fazer. Eu fiz porque tinha mesmo de ser, mas isso deixou-me cheio de stress e completamente exausto. O trabalho duro não é tão fácil como eu gostaria que fosse. Mas todo o trabalho que fiz sem perceber porque tinha de o fazer ... teve recompensas a longo prazo. Talvez não imediatamente, mas eu agora uso habilidades e hábitos que aprendi durante aqueles tempos de grande stress e longas horas de trabalho aborrecido - Eu uso essas técnicas o tempo todo, e isso tornou-me a pessoa que sou hoje.

8. Não compre um carro usado sem fazer uma verificação. Eu pensei que estava a ser esperto, por comprar um carro em segunda mão, mas não tive o cuidado de ver se estava tudo bem. Esse carro acabou por ter um monte de problemas no motor, uma porta que quase caiu quando eu estava a conduzir, um puxador avariado, um espelho que caiu, não tinha pneu sobressalente para além dos três pneus carecas, janelas que não abriam, barulhos estranhos, enfim ... eu podia continuar, mas digamos que não foi a minha melhor compra. Eu continuo a achar que comprar usado é inteligente, mas é preciso verificar tudo muito bem primeiro.

9. Aquele tipo a quem vai vender o seu carro? num acordo de cavalheiros? Ele não vai pagar. Vendi um outro carro a um amigo de um amigo, que eu tinha certeza que me iria pagar, mesmo sem ter nada por escrito. Foi muito inteligente... Eu ainda vejo o tipo de vez em quando na estrada, mas não tenho a energia para dar meia-volta e ir atrás dele.

10. Arranje tempo para perseguir a sua paixão, não importa o quão ocupado esteja. Eu sempre quis escrever, e ter um livro publicado. Mas nunca tinha tempo para escrever. Com uma família, mais a escola, e o trabalho, não sobrava tempo no meu dia. Bem, o que eu aprendi é que temos que fazer esse tempo. Arranje um bloco de tempo para fazer aquilo que gosta, corte outras coisas da sua vida, que ocupam o seu tempo, e não deixe que nada interfira com seu trabalho nessa altura. Se eu tivesse feito isso há 15 anos atrás, já poderia ter escrito uns 15 livros. Nem todos seriam obras primas, mas mesmo assim.

11. Todas essas coisas que o incomodam e deixam stressado - não vão importar daqui a 5 anos, muito menos daqui a 15. Quando as coisas lhe estão a acontecer, no momento, elas ganham porporções monumentais. Eu tinha prazos a cumprir e projetos e pessoas a pedir-me justificações, e meus níveis de stress eram brutais. Eu não me arrependo de todo esse trabalho (veja acima), mas eu acho que poderia ter ficado muito menos stressado se tivesse percebido que era apenas uma questão de tempo até tudo isso deixar de ter importância. Perspectiva, é uma coisa boa de se aprender.

12. As amizades que fizer são muito mais importantes do que o trabalho ou as coisas que comprar. Eu tive alguns empregos, comprei um monte de coisas, e eu fiz alguns amigos ao longo destes últimos 15 anos. De tudo isso, a única coisa que ainda me importa, são os amigos. Eu gostava de ter conseguido passar mais tempo com os amigos (e família) do que a fazer as outras coisas.

13. Todo o tempo que passa a assistir TV é uma enorme, enorme perda de tempo. Eu não sei quanto tempo de televisão já vi ao longo dos anos, mas é uma brutalidade. Horas, dias e semanas, que eu nunca vou ter de volta. Quem se importa com o que acontece no reality show, quando a realidade acontece lá fora? O tempo é algo que nunca vai ter de volta - não o desperdice com a televisão.

14. Os seus filhos vão crescer muito mais rápido do que você pensa. Não perca um minuto. Eu tive um momento "ó meu Deus" recentemente. A minha filha mais velha, tem 14 e vai fazer 15 no próximo mês. Tenho apenas 3 anos até que ela se torne adulta e eventualmente saia de minha casa. Três anos! Estou chocado com esse facto, porque simplesmente não me parece tempo suficiente. Eu quero voltar no tempo e dizer para o meu eu mais jovem, ou melhor, gritar~lhe: Leo, para de trabalhar tanto! Para de ver TV! Passa mais tempo com os teus filhos! Estes últimos 15 anos passaram muito, muito rápido.

15. Esqueça o drama. Concentre-se em ser feliz. Houve muitas coisas que me aconteceram, profissionalmente e pessoalmente, que pareceram o fim do mundo. E quando nos acontecem coisas, que são más, elas explodem nas nossas cabeças, e tornam-se grandes dramas. Issou levou-me a ficar deprimido de vez em quando. Que desperdício de tempo. Se eu tivesse percebido que estava tudo na minha cabeça, e que eu poderia ser feliz, se eu me tivesse concentrado no que era positivo, no que eu tinha, e que eu poderia estar a fazer ... eu poderia ter evitado todas essas depressões.


16. Preste mais atenção aos blogs quando ouvir falar deles. Eles são mais do que apenas revistas. Li pela primeira vez sobre blogs há uns 7-8 anos atrás, mas quando dei uma olhada eles não me pareceram nada de interessante. Apenas os diários de algumas pessoas sobre as coisas que lêem na net, ou sobre as suas vidas. Porque iria eu querer ler isso? Eu tenho as minhas próprias idéias sobre a internet, mas não preciso de compartilhá-las com o mundo. Eu passei muito tempo na Internet, em vários sites e fóruns, mas de cada vez que me deparei com um blog, eu passei por ele sem grande interesse. Até que, há alguns anos atrás, eu descobri que os blogs podem ser as coisas maravilhosas. Se eu tivesse descoberto os blogs anos antes ... eu não teria perdido todo esse tempo.

17. Por falar nisso, mantenha um diário. A sério mesmo. A nossa memória é extremamente defeituosa. Eu esqueço-me das coisas muito facilmente. Não a curto prazo, mas a longo prazo. Não me lembro de coisas sobre os primeiros anos dos meus filhos, porque eu não registei nada. Eu não me lembro de bastantes coisas sobre a minha vida. Tenho um monte de lembranças enevoadas, ás quais nunca vou ter acesso. Eu gostava de ter escrito um diário.

18. Tequilha é diabólica. Eu não vou entrar em detalhes, mas deve ser suficiente dizer que tive algumas más experiências, e não tenho grande certeza de ter aprendido muito com isso ou se isso me beneficiou de alguma forma, excepto por saber que tequilha é a bebida do diabo.

19. Sim, pode correr um maratona. Não elimine este objetivo - é extremamente gratificante. Correr uma maratona foi um sonho que sempre tive, desde o colégio ... algo que eu queria fazer, mas pensei que estava fora do meu alcance. Ou se alguam vez o fizesse, seria anos e anos mais tarde. Bem, eu aprendi que não só é possível, como é muito gratificante. Eu gostava de ter começado a treinar quando eu era jovem e leve e estava em forma ... eu poderia ter feito uns bons tempo de prova!

20. Todos os erros que vai fazer, apesar destes conselhos? Eles valem a pena. Se eu tivesse lido este artigo quando tinha 18 anos de idade, provavelmente ia dizer: "Aqui está um bom conselho!" mas provavelmente teria cometido os mesmos erros, apesar das boas intenções. Nunca gostei muito de seguir conselhos. Eu tinha que cometer os meus próprios erros, e viver a minha vida. E foi isso que eu fiz, e não me arrependo nada. Cada experiência que eu tive, trouxe-me até á vida que tenho hoje. Eu adoro a vida que tenho, e não quero trocá-la por nenhuma uma outra vida em todo o mundo. A dor, o stress, os dramas, o trabalho difícil, os erros, a depressão, as ressacas, as dívidas, o excesso de peso... tudo valeu a pena.

"Vamos viver de modo que, quando morrermos até mesmo o cangalheiro se vai arrepender." - Mark Twain


5 comentários:

  1. Adorei...e assino por baixo (cada palavra!)

    ResponderEliminar
  2. Ótimos conselhos!! gostei muito do Blog, com certeza levarei eles para minha vida!!
    Grande abraço!

    ResponderEliminar
  3. Anónimo4.9.11

    Parabéns! Um belo documento:)

    ResponderEliminar
  4. Anónimo8.2.12

    Gostei. :)

    ResponderEliminar
  5. Muito bom ler essas dicas, vou colocar todas em prática conforme vou vivendo;

    Visitem o Blog Cicloturismo Brasieliro
    http://cicloturismobrasileiro.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar