8.24.2011

A tragédia de se sentir a perder algo

Pai e filho foram pescar num pequeno barco, com fome.

O pai ajudou o filho a puxar o seu primeiro peixe, e era uma beleza."Grande pescaria, filho", disse o pai.

"Sim, mas eu estou preocupado, porque posso estar a perder um peixe melhor", disse o filho. "E se eu pudesse pescar um peixe maior, mais saboroso?"
"Talvez devesses tentar", disse o pai.
E foi o que o filho fez, pescando um peixe ainda maior uma hora mais tarde. "É realmente uma beleza", disse o pai.
"Mas, e se há melhor peixe lá fora?" Perguntou o filho .
"Talvez devesses tentar", disse o pai.
E o filho assim fez, pescou um peixe maior, e em seguida, perguntando se haveria peixes melhores, apanhou outro, e assim por diante.
No final do dia, o filho estava exausto. O pai perguntou: "Como era o gosto dos peixes?"
O filho hesitou. "Eu não tenho sei. Eu estava tão ocupado a procurar um peixe melhor que não provei nenhum deles. "
O pai sorriu, satisfeito, fez uma festa na barriga dele. "Não te preocupes. Eles eram deliciosos. "
-
Todos nós somos como o filho. Nós estamos sempre preocupados, num momento ou outro, se estamos a perder alguma coisa.
É por isso que estamos sempre tão ocupados - assumimos tantos compromisso porque não queremos perder nada. Definimos dezenas de objetivos e aspirações, porque não queremos deixar nada de fora.
Mas aqui está a verdade nua: vamos sempre perder, não importa o quê. É inevitável. Nós não podemos fazer ou experimentar tudo no mundo, mesmo que vivessemos o dobro do tempo. Nós não podemos visitar todas as cidades e vilas, nem ler todos os livros interessantes, ou assistir a todos os filmes importantes. Iremos sempre, sempre perder algo.
Aqui está a segunda verdade mais importante: se estiver sempre preocupado com o que está a perder, vai acabar por perder o que já tem.
Não faça uma lista de livros para ler de um quilometro de comprimento - concentre-se no livro à sua frente. Não vá de férias com um itinerário com todos os sítios de interesse assinalados, passeie e aprecie o que encontrar. Não se preocupe em viajar pelo mundo inteiro - delicie-se com o mundo ao seu redor. Não se preocupe com o que está a perder online, ou no noticiário - o que está a fazer é suficiente.
E dê descanso à sua longa lista de tarefas e de objectivos. Elas são uma tentativa inútil de não perder nada. Vai sempre perder algo, mas no esforço de querer fazer tudo, vai perder as coisas maravilhosas que estão a acontecer agora.
O que você está a fazer agora é tudo que importa. Deixe o resto ir, e aproveite o peixe que já apanhou.


Siga-me no Twitter e Facebook.


1 comentário: